O "cansaço" fez com que a presidente Dilma Rousseff cancelasse a agenda que faria nesta sexta-feira à tarde em Santa Catarina, onde desembarcaria às 15h30 para visitar as obras da ponte Anita Garibaldi, na BR 101, km 315. Dilma, que só chegou ao Rio Grande do Sul depois das 4 da manhã de hoje, participou da abertura oficial e desfile dos campeões da 37ª Expointer e visita à exposição.

Ela viajou para o Rio Grande do Sul depois de participar, ontem, em Recife, de comício ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e depois de se reunir com o petista para discutir mais estratégias de campanha. Por isso, preferiu cancelar a ida à Santa Catarina e voltar para Brasília. Ela ia dormir em São Paulo porque amanhã cedo tem duas agendas no Estado. Uma com taxistas, na sede do sindicato da categoria, às 10 horas, e outra, às 11h30, com mulheres, no Sindicato dos Bancários de São Paulo. As agendas de São Paulo estão mantidas, mas Dilma retorna à Brasília e viaja para o Estado amanhã cedo.

A capital paulista e o Estado são prioridades da campanha petista, que quer recuperar votos perdidos para Marina Silva na região. Além de São Paulo, os petistas querem concentrar a campanha no Rio e Belo Horizonte, onde ela volta na semana que vem em viagens. O cansaço, no entanto, de acordo com interlocutores, não significa desânimo. "Ela está com muito gás e vai continuar na rua andando em busca dos votos", disse um interlocutor da presidente. O governo e a campanha ficaram aliviados com os últimos resultados da pesquisa, mostrando que a subida de Marina parece ter chegado ao topo, na avaliação deles, e Dilma segue crescendo devagar, mas continuamente. Quanto ao segundo turno, os petistas alegam que "aí, é outra eleição".