Ao chegar ao Senado, nesta quarta-feira (20), o senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ), membro suplente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, criticou o relatório apresentado por Renan Calheiros (MDB-AL). Flávio está presente na lista de indiciamentos sugeridos no relatório final da comissão, sob acusação de disseminação de fake news.

O texto final apresentado nesta quarta por Renan tem mais de 1,1 mil páginas, divididas em 16 capítulos e 29 tipos penais apontados. O relatório será votado pelo colegiado na próxima terça (26) e pede o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro, duas empresas e mais 65 pessoas. 

Para Flávio, o parecer é uma "piada". Em conversa com os jornalistas, ele imitou o que seria a reação do seu pai, Jair Bolsonaro, ao saber das acusações. "Ele receberia da seguinte forma, você sabe aquela gargalhada dele?", disse imitando a risada do presidente da República. "Porque não tem o que fazer de diferente disso. É uma piada de muito mau gosto o que o senador Renan Calheiros faz", avaliou. Ainda segundo o senador o texto é "inconstitucional".

O relatório também foi alvo de críticas por parte de outros senadores governistas. Para Marcos Rogério (DEM-RO), a CPI focou apenas o governo federal, com o objetivo de desgastar o presidente Bolsonaro. Já Eduardo Girão (Podemos-CE), que se declara independente e é autor do requerimento para a investigação nos estados, diz que a comissão fechou os olhos à atuação de governos estaduais e prefeituras. Eles prometem relatórios alternativos ao de Renan.

*Com Agência Brasil

Leia Mais:
Petrobras não conseguirá atender demanda em novembro; distribuidoras temem desabastecimento