O Congresso manteve nesta quarta-feira (18) o veto da presidente Dilma Rousseff ao atrelamento da política de salário mínimo a todos os benefícios pagos pelo INSS. A proposta foi barrada apenas com os votos dos deputados. Na Câmara, foram 211 votos pela derrubada do veto, 160 pela manutenção e ainda 12 abstenções. Para serem derrubados, os vetos precisariam ter o apoio de, pelo menos, 257 deputados e 41 senadores.

O governo calculava o impacto com a eventual derrubada do veto de R$ 11 bilhões entre 2015 e 2019. Esse foi o nono dos 13 vetos que constavam das pautas das sessões do Congresso desta terça e quarta mantidos pelos parlamentares.

Durante os discursos, um dos vice-líderes do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), foi um dos que defenderam a manutenção do veto. "Nós estamos aqui votando para manter este veto porque queremos a saúde da Previdência Social", disse.