BRASÍLIA – A Cooperativa Sonho de Liberdade, sediada em Brasília, enviou nesta quinta-feira (5) ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma proposta de emprego para o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e ao ex-deputado federal José Genoino. A entidade informou ao STF que oferece condições para que os três condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão, possam cumprir a ressocialização.
 
Para Genoino, a cooperativa ofereceu a atividade de costura de bolas, com remuneração de R$ 5 por unidade. “Temos certeza de que não obrigará a nenhum esforço físico”, disse a entidade. José Dirceu poderá trabalhar como administrador da parte de fabricação de artefatos de concreto e deverá receber R$ 508, valor equivalente a 75% do salário mínimo.
 
Para Delúbio Soares, foi oferecido o cargo de assistente de marcenaria, também com remuneração de 75% do salário mínimo.
 
Em nota divulgada nesta quinta-feira, a defesa de Dirceu anunciou que ele desistiu do emprego oferecido pelo Hotel Saint Peter, em Brasília. Os advogados afirmaram que “o clima de linchamento midiático instalado contra José Dirceu e contra a empresa” fez o ex-ministro abrir mão da proposta.
 
No dia 29 de novembro, Delúbio Soares pediu para trabalhar na Central Única dos Trabalhadores (CUT). De acordo com a carta de emprego assinada pelo presidente da entidade, Vagner Freitas, o ex-tesoureiro foi contratado por ter experiência na área sindical.