Por meio de uma reunião virtual, os dez vereadores de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, aprovaram, no início da noite desta sexta-feira (24), Projeto de Lei, de cinco deles, determinando corte de 50% nos salários dos parlamentares, do prefeito, do vice e dos secretários do Executivo, durante o período de enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Com a decisão, a primeira do tipo em todo o Legislativo mineiro, os vencimentos dos vereadores, por exemplo, passarão de R$ 8.750 para R$ 4.375. Já o prefeito, que recebe, atualmente, R$ 28 mil brutos, deve ganhar cerca de R$ 14 mil. O vice passa de aproximadamente R$ 14 mil para R$ 7 mil, enquanto os secretários, remunerados com cerca de R$ 12 mil mensais, terão os contracheques reduzido a R$ 6 mil.

O valor arrecadado, em torno de R$ 350 mil, deverá ser doado ao Hospital Nossa Senhora de Lourdes, que vem recebendo os pacientes da pandemia e é o único 100% SUS da cidade. A proposta abrange os proventos de maio e junho do corrente ano. Na votação, os parlamentares destacaram que o PL recebeu parecer contrário do setor jurídico da Câmara Municipal, mas isso não interferiu na votação.

O projeto é de autoria dos vereadores Tiago Tito (PSD), Álvaro Azevedo (Avante), Silvanio Aguair (PSD), Flávio de Almeida (PT) e Fausto Niquini (PSD), presidente da CâmaraProcurada pela reportagem, a Prefeitura de Nova Lima,que pode vetar a proposição de lei, ainda não se manifestou sobre o assunto. A cidade tem 54 casos confirmados de Covid-19, de acordo com boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde.