O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), afirmou nesta quarta-feira (1º), que até a próxima semana o partido terá conseguido recolher o número de assinaturas necessárias para pedir a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades em fundos de pensão. Segundo o tucano, a bancada do PSB, de seis senadores, aceitou assinar o pedido e, com isso, eles chegarão ao número de 27 nomes exigidos para abertura de uma CPI na Casa.

"Nós vamos investigar todos os fundos de pensão, começando pelo Postalis, com olhar atento para a Previ, diante dos absurdos já constatados", disse o Cunha Lima.

Um dos fatos que motivou o pedido de criação da CPI foi a denúncia publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo na semana passada de que funcionários dos Correios poderiam ter salários descontados para cobrir um rombo de R$ 5,6 bilhões do Postalis, fundo de pensão da estatal, que seria resultado de investimentos suspeitos ou pouco rentáveis.

Além do Postalis e da Previ (Banco do Brasil), a CPI também deverá ter como foco os fundos da Petrobras (Petros) e da Caixa Econômica Federal (Funcef).