Além do ex-presidente Michel Temer (MDB), o ex-governador do Rio e ex-ministro Moreira Franco também foi preso nesta quinta-feira (21) em mais um desdobramento da Operação Lava Jato. Por meio de nota, a defesa de Moreira afirmou que "causa estranheza" o decreto de prisão contra ele "vir de um juiz de direito cuja competência não se encontra ainda firmada, em procedimento desconhecido até aqui". 

O mandado de prisão foi assinado pelo juiz da operação no Rio, Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal, atendendo a um pedido da Força Tarefa da Operação Lava Jato do Ministério Público Federal.

O escritório Moraes Pitombo Advogados manifestou "inconformidade" com o decreto de prisão cautelar do ex-ministro. "Afinal, ele (Moreira Franco) encontra-se em lugar sabido, manifestou estar à disposição nas investigações em curso, prestou depoimentos e se defendeu por escrito quando necessário", diz o comunicado.

* Com Estadão Conteúdo. 

Leia mais: