O ex-presidente Michel Temer (MDB) teve sua liberdade concedida nesta segunda-feira (25). O desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, determinou a soltura, conforme informou o advogado Eduardo Canelós a aliados do emedebista. Athié é relator do habeas corpus dos advogados de Temer, que contestam o decreto de prisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio, responsável pela operação "Lava Jato". A decisão também inclui a liberdade do ex-ministro Moreira Franco (MDB).

O desembargador havia pedido que o caso fosse incluído na pauta de julgamento do tribunal na próxima quarta-feira, para que a decisão sobre o habeas corpus fosse colegiada, porém, ele se antecipou.

Temer foi preso na última quinta-feira (22), em investigação que mira supostas propinas de R$ 1 milhão da Engevix no âmbito da operação "Descontaminação", desdobramento da Lava Jato. Também foram detidos preventivamente o ex-ministro Moreira Franco (MDB), e outros 8 sob suspeita de intermediar as vantagens indevidas ao ex-presidente.

A investigação apura supostos crimes de formação de cartel e prévio ajustamento de licitações, além do pagamento de propina a empregados da Eletronuclear. Após decisão do Supremo Tribunal Federal, o caso foi desmembrado e remetido à Justiça Federal do Rio de Janeiro. O inquérito que mira Temer e seus aliados tem como base as delações do empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix.

* Com Estadão Conteúdo.

Leia mais: