Políticos, autoridades e personalidades que contribuíram para o desenvolvimento mineiro participaram nesta quinta-feira (16), em Mariana, da solenidade em comemoração ao Dia do Estado de Minas Gerais. O evento celebra os 319 anos do município, primeira capital do Estado. Durante a cerimônia, o governador Fernando Pimentel, lembrou em seu discurso a situação de crise herdada pela administração anterior e exaltou as conquistas do atual governo.

"Herdamos uma situação financeira calamitosa, um déficit de R$ 7,2 bilhões, e um quadro administrativo assustador, com mais de 500 obras paralisadas, processos de licenciamento ambiental parados, situação caótica nas prisões e problemas de repasses de medicamentos. Mas quero olhar para o futuro, nosso governo está arrumando a casa", afirmou Pimentel.

O governador ainda ressaltou a importância da história do povo mineiro e sua soberania. "Minas não tem dono, não tem rei, não tem imperador. Soberano aqui é o povo de Minas". Entre os agraciados homenageados pela medalha do "Dia de Minas", estão secretários de Estado, militares, políticos, membros da sociedade civil e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias.

Em um discurso longo em que lembrou a história de luta do Brasil e dos mineiros, Patrus aproveitou o momento para relacionar a situação atual de turbulência na área política com momentos já vividos no passado. "A história do nosso país, governador, testemunha a disputa entre os ideais libertários e de justiça social e as forças obscurantistas dos golpismos, autoritarismos e exclusões", disse Patrus.

O evento foi acompanhado por moradores de Mariana, que encheram a Praça Minas Gerais, onde foi realizada a solenidade. O agraciado pela medalha que mais atraiu a atenção do público foi o goleiro do Cruzeiro, Fábio Deivson Lopes Maciel. A imprensa não teve acesso a nenhum dos convidados, que saíram da praça após o evento sem falar com ninguém.