Alvo constante de ataques da oposição, em meio à Operação 'Lava Jato' e julgamento de seu governo pelo Tribunal de Contas da União (TCU), a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (17) que não há espaço para aventuras antidemocráticas na América do Sul.

Dilma, que tem criticado o que ela classifica como "golpismo" que estaria sendo praticado por setores da sociedade, usou seu discurso na reunião de cúpula dos chefes de Estado do Mercosul para defender a democracia e o respeito às instituições. "Somos uma região que sofreu muito com as ditaduras. Hoje, somos uma região onde a democracia floresce e amadurece", disse. Segundo ele, o continente sul-americano tem capacidade de lidar com diferenças políticas por meio do diálogo. "Temos que permanecer nesse caminho", disse.

"Não há espaço para aventuras antidemocráticas na América do Sul", afirmou, ressaltando que essa visão é refletida nos posicionamentos do Brasil em fóruns internacionais. De acordo com a presidente, a determinação dos governos do bloco é trabalhar pela integração, o que permite ter uma região marcada pela paz, democracia e cooperação.