O ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu disse ao juiz federal Sérgio Moro, da Operação 'Lava Jato', que enfrenta "dificuldades financeiras". Ele disse na audiência de sexta-feira (29), que ganhou R$ 40 milhões em "consultorias", mas que tinha "muitas despesas".

Preso desde 3 de agosto de 2015 - alvo da Operação Pixuleco, desdobramento da Lava Jato -, Dirceu é réu em ação penal por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A força-tarefa do Ministério Público Federal afirma que, por meio de uma empresa de "fachada", a JD Assessoria e Consultoria, o ex-ministro recebeu propinas do esquema de corrupção instalado na Petrobras entre 2004 e 2014.

O relato de Dirceu não convenceu os investigadores da Lava Jato porque, segundo eles, as dificuldades e as despesas não o impediram de gastar R$ 1,5 milhão com a reforma de sua casa.