Em discurso no plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte, o vereador Léo Burguês de Castro (PSL) atacou a reportagem do Hoje em Dia nesta quinta-feira (18). O jornal revelou o sumiço de itens eletrônicos adquiridos durante a gestão de Burguês na presidência da Casa. Entre eles, uma TV de 55 polegadas, cinco racks, dois microfones e dois fones de ouvido. Os objetos extraviados fazem parte de uma compra de equipamentos realizada pela Câmara por meio da concorrência pública 01/2013. A vencedora do pregão foi a empresa Projesom Projetos e Instalações de Som Ltda.

Ao todo, o contrato, que recebeu cinco aditivos, custou exatos R$ 5.582.874,00 aos cofres públicos. Foram adquiridos 1.212 itens eletrônicos, incluindo dezenas de caixas de som, vídeos projetores, caixas acústicas, cabos, além de vários aparelhos de TV de última geração, entre outros.

O parlamentar preferiu não se defender e demonstrou irritação com a publicação. “Todo mundo conhece a fama desse jornalista Ezequiel Fagundes. Um escroque, um escroque, pode escrever aí. Ezequiel é um escroque, não para em lugar nenhum. Um mentiroso, uma pessoa que não tem caráter, não tem escrúpulo”, atacou. Burguês garante que os produtos eletrônicos extraviados já foram encontrados. Mas documento obtido pelo Hoje em Dia diz o contrário. Ao apartear o colega, o presidente da Casa, Wellington Magalhães (PTN), confirmou que os equipamentos ainda não foram encontrados. “Dos dez itens foram encontrados apenas dois”, rebateu.

O mistério sobre o paradeiro dos equipamentos dominou o debate no plenário da Casa. O clima é de constrangimento, pois existe o temor de desgaste da imagem dos parlamentares em ano eleitoral. Para o vereador Adriano Ventura (PT), trata-se de um caso de polícia. “Somos cobrados o tempo todo pelo cidadão. Meu Deus, isso tem que aparecer. Tem que estar em algum lugar. Agora, se sumiu mesmo, temos que chamar a polícia para solucionar este caso”. Elvis Côrtes (PSD) disse que está com medo de ter o gabinete invadido e pediu reforço na segurança da Câmara. “Se até televisão está sumindo, o que mais pode sumir nessa Casa? É um absurdo acontecer isso numa maiores câmaras do país. Peço mais segurança”, exigiu.

O 1º vice-presidente da Casa, vereador Henrique Braga (PSDB), sugeriu que seja criada uma comissão de parlamentares para apurar o caso. “Sempre achei muito estranhas algumas despesas da Câmara. Quero lamentar aqui porque uma das nossas funções é a de fiscalizar”, declarou.

Confira o vídeo com os ataques do vereador Léo Burguês: