O líder do governo na ALMG, Durval Ângelo, lançou nesta sexta-feira (29) o livro “Herança maldita – O desgoverno tucano em Minas”, custeado com dinheiro público. Com 144 páginas, a obra, segundo o deputado, é uma prestação de contas do trabalho parlamentar. O prefácio do livro é assinado pelo governador de Minas, Fernando Pimentel.

“O dinheiro para publicação é da verba indenizatória de publicidade da Assembleia. A forma correta de gastar o dinheiro é com a divulgação de coisas inerentes ao mandato”, disse Durval, durante coletiva na sala de imprensa da Casa.

Ainda segundo o deputado, cerca de R$ 20 mil foram gastos com a impressão do livro, tarefa que coube à Gráfica e Editora Expressa, com sede em Belo Horizonte.

“O custo é baixo. São 5 mil exemplares por volta de R$ 4 cada um. Não tem superfaturamento. E o livro pode ser reproduzido e será distribuído gratuitamente”, justificou.

O deputado João Leite (PSDB) reagiu à publicação e ameaçou levar o caso ao Conselho de Ética da ALMG. “É uma falta de zelo com a verba pública. Não podemos admitir que recursos públicos sejam gastos para apresentar ataques e ofensas. Vamos pedir apuração ao Conselho de Ética”, informou.

 “Não tememos nada. Se tiver algum erro, estamos no início do governo e podemos corrigir” Durval Ângelo - Deputado