Em discurso na última terça-feira (13), o senador Zezé Perrella (PDT) acusou o promotor Eduardo Nepomuceno de irregularidades na condução das investigações contra ele. Segundo o parlamentar, o representante do Ministério Público de Minas Gerais teria violado a Constituição Federal e a legislação brasileira e cometido várias arbitrariedades em um processo de investigação contra a família Perrela.

"Ele quebrou o sigilo bancário de 53 amigos meus, sem nenhuma ordem judicial e manteve uma investigação contra minha família por mais de dez anos, sendo que a própria legislação do Ministério Público prevê a conclusão em um prazo de seis meses, apenas para manter sobre mim a pecha de investigado", disse o senador ao Hoje em Dia.

Ainda segundo Perrella, o promotor também teria investigado mais de 150 contratos de venda de jogadores Cruzeiro, time de futebol do qual foi dirigente por mais de 16 anos. "Quando a Justiça proibiu que ele fiscalizasse o Cruzeiro, por ser uma entidade privada, ele direcionou a investigação contra mim e meu irmão", disse se referindo a Alvimar Perrella, também ex-presidente do time.

"O promotor investigou toda a minha família e amigos e, após dez anos, pediu o arquivamento do processo por falta de elementos. Ele sabia que não havia nada de ilegal, mas manteve a investigação com base em uma denúncia anônima. Ele ainda chegou a dar entrevistas dizendo que estaria investigando denúncias sérias ao meu respeito e também sobre meu irmão, mas sabia que não havia nada. É um promotor que age apenas para aparecer na mídia", acusou.

Perrella disse ainda que protocolou uma reclamação disciplinar junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no último dia 6 pedindo que o promotor seja responsabilizado pelas possíveis "arbitrariedades" cometidas durante as investigações. "Fui informado que o processo de apuração dessa representação não deve durar mais do que 140 dias e espero que ele seja condenado porque as provas que tenho contra ele são gritantes".

O promotor Eduardo Nepomuceno foi procurado e informou, por meio da assessoria de imprensa do Ministério Público de Minas, que não irá se pronunciar sobre as acusações do senador. A reportagem também entrou em contato com a assessoria de comunicação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), mas o órgão não confirmou se foi aberto um processo de investigação contra o promotor Eduardo Nepomuceno.

Caso Alvimar 

Apesar de não ter apresentado denúncia contra Zezé Perrella, o promotor Eduardo Nepomuceno denunciou recentemente o ex-dirigente do Cruzeiro Alvimar Perrella por envolvimento em um esquema de fraude em licitação para fornecimento de comida a presídios de Minas Gerais. Alvimar é um dos três sócios da Stillus Alimentação Ltda, principal fornecedora de alimentos para presos no Estado, e teve seus bens bloqueados pela Justiça em abril.