O senador Delcídio Amaral (PT/MS) disse na manhã desta quinta-feira (26) que estava 'sereno' a um amigo que levou café da manhã para ele na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, onde o ex-líder do governo está preso desde quarta-feira (25). Ao interlocutor, Delcídio perguntou da mulher e dos filhos. O petista foi preso sob suspeita de obstruir as investigações da Operação 'Lava Jato'.

Nesta quinta-feira, 26, desde as 15h30, Delcídio presta depoimento na Polícia Federal. Ele depõe acompanhado pelo advogado Mauricio Leite. O depoimento está sendo tomado pelo delegado Tiago De Lamare, do Rio Grande do Sul, que já trabalhou com a força-tarefa da Java Jato.

Delcídio passou a noite em uma sala especial da PF. Como parlamentar, o petista possui a prerrogativa de ser mantido em sala especial. No local, foi montada uma cama de solteiro. O banheiro fica fora da sala em que ele está preso e é compartilhado com os policiais.

Com problemas de estômago, o senador tem recebido comida de fora da Superintendência.