O ex-deputado estadual José Riva (PSD) voltou a ser preso nesta quarta-feira (1º), menos de uma semana após ter sido solto por habeas-corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Sua prisão ocorreu às 6 horas da manhã durante a operação Ventríloquo, deflagrada pelo Grupo de Operações Especiais contra o Crime Organizado (Gaeco), que investiga desvios dos cofres públicos da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Na operação de hoje também foi preso o ex-secretário de controle interno da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT) Luiz Márcio Bastos Pommont. Em nota, o servidor adiantou que é inocente e que vai ser tudo esclarecido. A prisão foi decretada pela juíza da 7ª vara criminal do TJ/MT, Selma Rosane dos Santos Arruda.

Riva, que responde a cerca de 134 processos, ficou preso por mais de 4 meses, acusado de integrar um grupo que desviou da Assembleia Legislativa cerca de R$ 68 milhões. Além dele, a sua mulher Janete Riva, também está sendo investigada, bem como empresários e servidores públicos.

A defesa do ex-deputado, o advogado Rodrigo Mudrovitsch, considerou a prisão irregular. Ele acredita que a decisão de prender novamente seu cliente é um "subterfúgio para descumprir a decisão do STF". E disse que vai tomar as providências cabíveis.

Riva foi solto há seis dias por decisão do STF, mas está usando tornozeleira por decisão da juíza Selma Arruda que também o proibiu de deixar a comarca sem autorização e não se aproximar da Assembleia Legislativa do Mato Grosso.