O Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (22), em edição extra, trouxe publicada a exoneração de Roberto Freire do cargo de ministro da Cultura. Freire, que é presidente do PPS, decidiu sair do governo na semana passada em razão das denúncias que atingiram o presidente Michel Temer, alvo de várias acusações na delação premiada de Joesley Batista, dono da JBS.

"Tendo em vista os últimos acontecimentos e a instabilidade política gerada pelos fatos que envolvem diretamente a Presidência da República, eu, Roberto João Pereira Freire, decido, em caráter irrevogável, renunciar ao cargo de ministro de Estado da Cultura", escreveu Freire na carta que foi entregue na quinta-feira, 18, a Temer - um dia depois da divulgação de parte da delação.

Depois de ficar seis meses no cargo, o ex-ministro disse que retomará seu mandato de deputado federal na Câmara, "para ajudar o País a buscar um mínimo de estabilidade política que nos permita avançar em reformas fundamentais para o desenvolvimento da economia, geração de emprego e renda e garantia dos direitos fundamentais para toda a população".