O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (2012/2014) afirmou em sua rede social que o ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo nesta quinta-feira, 19, "fará muita falta ao País". Teori e outras quatro pessoas estavam em um bimotor que caiu no mar de Paraty, litoral do Rio.

"Estou chocado e muito triste com a trágica morte do nosso querido Teori Zavascki. À família, minhas condolências e votos de solidariedade. Era um juiz primoroso sobre o qual repousavam, nesse delicado momento por que passa o País, enormes responsabilidades", escreveu em seu Twitter na noite desta quinta.
Em uma das mensagens, Joaquim Barbosa lembrou que "Teori ascendeu ao Supremo" quando ele ainda exercia a presidência da Corte máxima.

"Empossei-o no finalzinho de 2012", lembrou. "Eu tinha grande admiração pelo trabalho que o Teori vinha realizando no Supremo. Fará muita falta ao País, sem dúvida."

A aeronave que levava Teori decolou do Campo de Marte, aeroporto localizado em São Paulo, às 13h, e caiu por volta das 13h45, segundo a Marinha. Informações disponíveis no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) revelam que o Beechcraft C90GT tem capacidade para sete passageiros, além do piloto. É um avião bimotor turboélice fabricado pela Hawker Beechcraft. A aeronave PR-SOM está registrada em nome da Emiliano Empreendimentos e Participações Hoteleiras Limitada.

Leia mais:
Mulheres que estavam em avião de Teori são identificadas
Cenipa encontra caixa de gravação de voz de avião que caiu em Paraty
Senador pede que Congresso abra comissão de investigação sobre morte de Teori

Relator da Lava Jato na Corte, o ministro era o responsável por conduzir os desdobramentos da maior investigação de combate à corrupção no País que envolvem autoridades com foro privilegiado. Teori estava empenhado, nos últimos meses, na análise da delação premiada dos 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht, o mais importante acordo celebrado pela operação até aqui e que aguarda homologação.

Até então, o ministro já havia homologado 24 delações premiadas no âmbito da operação que implicam políticos dos principais partidos do País, da base e da oposição do governo federal. Teori foi ministro do Supremo a partir de 29 de novembro de 2012. Ele presidiu a 2.ª Turma da Corte entre 2014 e 2015.