O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) cassou ontem a chapa que reelegeu o governador do Estado, Belivaldo Chagas (PSD), e sua vice, Eliane Aquino (PT), por abuso de poder econômico na eleição de 2018. Belivaldo teve a inelegibilidade decretada por oito anos.

O julgamento teve o placar de seis votos a um a favor da cassação. Ainda cabe recurso da decisão. Se a cassação for mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), será realizada nova eleição ao governo estadual. Segundo o Ministério Público Estadual, Belivaldo "fez uso repetido da propaganda institucional e da máquina administrativa do governo do Estado com o objetivo de promover sua imagem", o que teria beneficiado sua candidatura à reeleição.

O relator, desembargador Diógenes Barreto, disse que, diante do "montante de recursos públicos envolvidos" e da "quantidade de municípios contemplados" pela propaganda irregular "revela-se proporcional e razoável a incidência das sanções de cassação de mandato e de inelegibilidade". Para a procuradora do Ministério Público Eleitoral Eunice Dantas, Belivaldo se valeu da condição de governador "para promover sua reeleição".

Belivaldo Chagas e Eliane Aquino não responderam ao Estado até a conclusão desta edição.


Leia mais:
Vereadores abrem processo para analisar cassação contra Wellington Magalhães
Parlamentares decidem nesta quarta se abrem processo para cassar vereador Wellington Magalhães
MP cria grupo especial para investigar ameaça de Wellington Magalhães contra promotor