A JBS confirmou nesta terça-feira (14) ter feito um pagamento de R$ 200 mil para a Limiar Consultoria e Assessoria em Comunicação, controlada pelo ex-deputado federal André Vargas. O pagamento foi efetuado a título de consultoria de marketing, segundo a companhia, que afirmou ainda que ele se deu "dentro da legalidade, não havendo ilicitude no ato".

A empresa diz que a Receita Federal já havia solicitado esclarecimentos sobre o pagamento em questão, "os quais foram prontamente prestados pela JBS. A companhia reitera que todos os procedimentos legais foram seguidos", diz a JBS em comunicado ao mercado em resposta a notícias publicadas na imprensa.

Hoje o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, noticiou que a quebra de sigilo fiscal da Limiar na 11ª fase da Operação "Lava Jato", indicou que a JBS fez um repasse de pelo menos R$ 200 mil à empresa. Na decisão que ordenou a prisão preventiva de André Vargas, o juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações penais da "Lava Jato", afirmou que é necessário aprofundar as investigações, não sendo possível afirmar por ora que (os pagamentos) eram destituídos de causa lícita.