O Ministério da Justiça e Segurança Pública inicia, nesta quinta-feira (20), uma pesquisa para avaliar a qualidade de vida dos profissionais de segurança pública do país. O levantamento terá duração de três meses e visa subsidiar o planejamento de políticas públicas que atendam aos integrantes do Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

De acordo com o ministério, o estudo ficará disponível aos agentes do Departamento Penitenciário Nacional, das polícias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF) e ao pessoal das polícias Militares, Civis, Técnico-Científicas e Penais nas unidades federativas, além do Corpo de Bombeiros.
 

Justiça

Segundo o Ministério da Justiça, os dados coletados vão fomentar as ações do Programa Nacional de Qualidade de Vida para Profissionais de Segurança Pública e Defesa Social

O link da pesquisa será encaminhado para cada um dos profissionais por e-mail. A participação é voluntária e sigilosa, não havendo qualquer forma de identificação pessoal dos respondentes.

Segundo o Ministério da Justiça, os dados coletados vão fomentar as ações do Programa Nacional de Qualidade de Vida para Profissionais de Segurança Pública e Defesa Social. Criado em 2010, ele tem como objetivo valorizar trabalhadores da área, reduzindo os riscos de morte como também atuando na prevenção da saúde durante o exercício de suas relevantes funções.

“Precisamos conhecer as características e necessidades do profissional que está na ponta, trabalhando para proteger a população”, disse o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

Leia mais:
Salles se diz surpreso e classifica operação da PF de desnecessária
Pazuello nega ter ignorado a Pfizer e diz que não foi orientado a indicar tratamento precoce