O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), disse que a prisão do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, na manhã desta quarta-feira (15), comprova a participação do partido do governo no esquema de corrupção da Petrobras. "Acho que é a comprovação de que o Partido dos Trabalhadores, através do seu tesoureiro, está no meio desta trama de corrupção que envolve a Petrobras e outros órgãos de governo, conforme delação do ex-diretor Paulo Roberto Costa", afirmou Mendonça nesta manhã. "Esse fato é tão grave que exige a chamada prisão preventiva do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto", disse o pernambucano.

Mendonça lembrou que Vaccari é o segundo tesoureiro petista a ser preso. Antes de Vaccari, Delúbio Soares foi preso, condenado por envolvimento no mensalão. "É lamentável que a gente possa assistir no Brasil hoje o principal partido, o partido do Poder, que tem inclusive a presidente da República filiada a ele, com um tesoureiro totalmente envolvido no esquema de corrupção denunciado pelo Ministério Público Federal e cuja denúncia foi acatada pela Justiça Federal", afirmou Mendonça.

O líder do DEM defendeu que Vaccari seja novamente convocado para prestar depoimento à CPI instalada na Câmara para apurar o esquema de corrupção na estatal. "Será inevitável o retorno do Vaccari para prestar depoimento na CPI da Petrobras. Até porque, com a decretação da prisão, tenho convicção de que a Justiça reuniu provas contundentes envolvendo o Vaccari na conexão com a Petrobras e todas as denúncias de corrupção. No depoimento aqui, ele fugiu e escondeu todos os laços com as denúncias de corrupção", disse o deputado.