O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin disse nesta quarta-feira (12) que a Operação Lava Jato não é  "suscetível de qualquer retrocesso". Fachin é relator dos processos oriundos das investigações no STF. 

Nesta tarde, ao chegar ao STF para sessão de julgamentos, o ministro disse que a operação é uma realidade que não será afastada por "qualquer circunstância conjuntural".

"A operação trouxe um novo padrão normativo, jurídico e também de natureza ética ao Brasil e à administração pública. Tenho confiança plena que isso não é suscetível de qualquer retrocesso", disse. 

A manifestação do ministro foi feita em meio às declarações de parlamentares e ministros da Corte que cogitaram a anulação das investigações após reportagem do site The Intercept Brasil ter divulgado supostos diálogos que o ministro da Justiça e Segurança  Pública, Sérgio Moro, teria mantido com procuradores da Lava Jato em Curitiba quando era juiz.  

Leia mais:
Moro tenta emplacar agenda positiva e diz: 'hackers não vão interferir na missão'
'Juiz não pode ser chefe de força-tarefa', diz Gilmar sobre Lava Jato
Plenário do STF vai julgar ação contra prisões após segunda instância