A despedida da mãe da ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT), Dilma Jane, acontece em uma cerimônia íntima na manhã deste domingo (14) no Funeral House, no bairro Funcionários, região Centro-Sul da capital. O corpo deve ser cremado. Professora aposentada, Dilma Jane morreu nesse sábado (13), aos 95 anos. A causa ainda é desconhecida, mas, diagnosticada com Alzheimer, ela já tinha a saúde frágil. Em 2011, também havia sido internada com embolia pulmonar.

Dilma Jane Coimbra da Silva Rousseff nasceu em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, e foi criada em Uberaba, no Triângulo Mineiro, onde conheceu o engenheiro búlgaro Pedro Rousseff, com quem se casou e se mudou para Belo Horizonte. O casal teve três filhos, o primogênito Igor Rousseff, Dilma Vana e a caçula Zana Lívia, que morreu ainda jovem. Pedro faleceu em 1962.

De acordo com uma nota de pesar publicada pelo PT, nos anos 1970, a professora passou três anos percorrendo cárceres pelo Brasil para dar apoio e garantir a vida da filha, presa pela ditadura, e de outros encarceirados.

Em 2011, Dilma Jane voltou a morar com Dilma, em Brasília, quando a filha foi eleita para a presidência da República. Mãe e filha viveram juntas durante praticamente todo o mandato e a matriarca voltou à capital mineira já com a saúde muito abalada.

Em abril de 2018, a ex-presidente chegou a transferir o título eleitoral para Minas Gerais, alegando problemas de saúde da mãe. Dilma estava em Londres e viaja a Belo Horizonte para o velório, que acontece neste domingo (14).

Segundo o deputado federal Rogério Correia (PT), a ex-presidente não irá fazer pronunciamento público neste sábado (13). "Notícia triste para todos nós. A presidenta escolheu fazer o velório no domingo, estará cercada de amigos e familiares", disse o petista.

Pêsames

Colegas de partido da ex-presidente se manifestaram prestando condolências a Dilma Rousseff. No Twitter, vários políticos mineiros postaram desejando força à família.