Em dia ensolarado em Brasília, neste domingo (17), o presidente Jair Bolsonaro saiu do Palácio da Alvorada, residência oficial, para ver e apoiar a manifestação a favor de seu governo em frente ao Palácio do Planalto. A presença do presidente da República, acompanhado de 11 dos 22 ministros, todos com máscaras de proteção contra a Covid-19, além de outros assessores, foi transmitida ao vivo nas redes sociais, no início da tarde.

Na rampa do Palácio do Planalto, Bolsonaro classificou a manifestação de “espontânea” e “pacífica” e elogiou o fato de não haver mensagens contrárias ao Congresso e ao Supremo Trinbunal Federal, como em outras ocasiões  - embora, talvez longe da vista do presidente, existissem faixas do tipo. 

“Sem nenhuma faixa agressiva a quem quer que seja”, disse Bolsonaro, lembrando que  ops manifestantes consistiam em “um pessoal que tem a democracia, a liberdade, o patriotismo acima de tudo”.

“É muito gratificante, honroso da minha parte, do meu ministério, receber uma manifestação de apoio nesse sentido. Isso fortalece a todos nós aqui em Brasília numa busca de conseguir meios não só para combater esse vírus que tem ceifado vidas num momento que preocupa a todos nós, bem como proporcionar dias melhores para a nossa população através das boas políticas implementadas em especial pelo Poder Legislativo e pelo Poder Executivo”, ressaltou o presidente.

Bolsonaro disse que “não existe preço para nós, políticos, ter uma manifestação espontânea dessa maneira, vinda do coração, da alma do povo brasileiro que, repito, quer acima de tudo liberdade, quer democracia, quer o respeito”.

O presidente assegurou que o país vai se recuperar da crise provocada pela covid-19. “Nós vamos conseguir mudar o destino do Brasil, apesar dessa crise que tem afetado o mundo todo.”

Além do presidente, estiveram no evento, entre outros ocupantes do primeiro escalão, os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), e André Mendonça (Justiça e Segurança Pública).

* Com Agência Brasil