Na manhã de eleições em todo o país, 250 urnas eletrônicas já foram substituídas em Minas Gerais neste domingo (7). O número apresenta 0,5% do total de equipamentos do Estado. Além disso, 72 pessoas foram presas por propaganda irregular e boca de urna, sendo dois candidatos, um vereador, um prefeito, e um adolescente apreendido. As informações são do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e da Polícia Militar. 

O juiz presidente da comissão de auditoria das urnas eletrônicas do TRE, Joemilson Donizetti Lopes, garante que o processo eleitoral de 2018 ocorre "dentro da normalidade". "Até o momento está transcorrendo com muita naturalidade, muita normalidade. Temos um contato direto com todos os juízes eleitorais do Estado e as ocorrências que eles têm reportado, são mínimas. Isso indica que a eleição está tranquila, o que já era previsto, e assim esperamos que continue até às 17 horas", afirma. 

Falhas nas urnas

Dentre os equipamentos que apresentaram problemas, 59 na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), campeã de urnas substituídas, 36 estão no Triângulo Mineiro, 29 no Vale do Rio Doce, quatro no Vale do Mucuri, três na região Central, 13 no Oeste de Minas, 16 nos Campos das Verentes, 32 na Zona da Mata, 33 no Sul/Sudoeste, 11 no Norte de Minas, três no Noroeste e três no Jequitinhonha. 

Em Contagem, na Grande BH, a votação em uma das seções da 91° Zona Eleitoral, na Escola Municipal Virgílio de Melo Franco, foi prejudicada pois a tela de uma urna estava queimada. A votação ficou paralisada por cerca de meia hora até a que um novo equipamento fosse providenciado. Não houve tumultos, mas os mesários tiveram trabalho para reorganizar as filas, com muitos idosos, principalmente.

Uma eleitora do Barreiro registrou, na manhã deste domingo (7), um boletim de ocorrência (BO) para denunciar problemas na urna eletrônica em que ela votou. De acordo com as informações passadas à Polícia Militar, a mulher digitou o número do candidato à presidência escolhido e o voto não foi confirmado. Ela ainda relatou que chamou imediatamente o mesário da seção para averiguar o caso.

A PM esclarece que, nos casos em que o eleitor se sentir lesado, é possível registrar o BO. Além disso, o TRE garante que, as situações de problemas nas urnas devem constar em ata do presidente da mesa. A ocorrência será avaliada por um juiz eleitoral.

Confiabilidade e segurança das eleições

O membro da Rede de Observadores Eleitorais da América Latina e do Caribe, Raphael Fernandes Vieira, que representa a Argentina e acompanha as eleições na sede do TRE na capital mineira, afirma que a confiabilidade da urna eletrônica é alta e que o modelo deve ser expandido para outros países. 

“A gente sabe bem os problemas que o voto em papel tem, não só de fraudes intencionais, mas fraudes acidentais de perda de votos. As vezes a pessoa escreve um número que é ilegível e um voto que seria válido termina sendo anulado, o que causa uma restrição a esse direito”, explica. 

O representante da organização não governamental, que acompanha o processo eleitoral brasileiro desde a última sexta-feira (5), em Minas, garante que o olhar mais apurado na sede do TRE “aumentou a confiança da rede no sistema e a crença de que a vulnerabilidade dele é quase nula”. 

Prisões

Ao todo, 48 ocorrências de prisões foram encerradas no Estado, sendo uma por desobediência à Lei Seca, que impede que bebidas alcoólicas sejam vendidas durante o horário de votação. O caso foi registrado em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro. O prefeito do município de Areado, no Sul de Minas, Pedro Francisco da Silva (PR) foi conduzido pela Polícia Militar por fazer boca de urna e propaganda irregular na frente de uma escola da região.

Após ser liberado da delegacia, o político voltou até o local de votação e teria ameaçado o mesário que, supostamente, denunciou a prática irregular aos militares. Com isso, novo boletim de ocorrência foi registrado e o prefeito está sendo procurado pela PM.  

Os candidatos presos que distribuíam santinhos durante a madrugada são Washington Xytão, de Governador Valadares, que concorre ao cargo de deputado estadual, Ramsés Maciel de Castro, candidato a deputado federal em Sete Lagoas, e o vereador José Romualdo de Campos, de Pompéu. 

*Colaboram Bruno Inácio e Daniele Franco