Moradores de alguns bairros de Belo Horizonte bateram panelas durante o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff sobre a transmissão de doenças pelo mosquito Aedes aegypt, especialmente a zika. A manifestação foi mais fraca do que nos pronunciamentos anteriores.

A presidente ficou no ar durante seis minutos e a mensagem foi transmitida em cadeias de rádio e TV. O som das panelas foi ouvido em Lourdes, Serra, Santo Antônio, Carlos Prates, Gutierrez e Santa Amélia. Em Recife, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Goiânia houve manifestação semelhante.

A presidente afirmou que o combate à microcefalia é uma "luta urgente" e que "deixou de ser um pesadelo distante para se transformar em ameaça real". Ela lembrou que ainda não existe vacina contra o zika vírus e reconheceu que o combate ao mosquito transmissor é complexo e exige o engajamento de toda a sociedade.

"Faremos tudo, absolutamente tudo, que estiver ao nosso alcance para proteger (as mulheres grávidas). Faremos tudo, absolutamente tudo, para apoiar as crianças atingidas pela microcefalia e suas famílias", disse.