O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações penais da Operação 'Lava Jato', determinou nesta sexta-feira (17) a suspensão do inquérito que investiga o bilhete apreendido com o presidente da Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht, preso desde 19 de junho. O manuscrito foi copiado por um agente da Custódia da Polícia Federal na manhã de 22 de junho.

Os investigadores suspeitam que o empresário teria tentado orientar seus advogados a ocultar provas, ao escrever 'destruir e-mail sondas'. Os advogados da Odebrecht afirmam que se tratava apenas de uma orientação para 'rebater' o conteúdo do e-mail.

Segundo a OAB/PR, o original do bilhete apreendido transmitido pelo empreiteiro a seus advogados estaria sob sua custódia. Para a entidade, a apreensão violaria o sigilo profissional.