O governador Fernando Pimentel participou nessa quarta (14) da abertura do Seminário Tecnologia da Informação e Economia Criativa, em Milão, na Itália. Aos empreendedores participantes do evento, ele afirmou ser o momento “extremamente favorável ao investimento estrangeiro no Brasil e em Minas Gerais”.

Para o governador, o Brasil passa por um momento de acomodação da economia à nova realidade mundial, que tem afetado especialmente os países emergentes em função da queda dos preços das commodities, a grande sustentação da balança comercial.

Pimentel destacou a desvalorização cambial como fator importante para que a indústria recupere a competitividade perdida com o real valorizado, melhorando as condições para que as empresas e corporações estrangeiras possam investir no Brasil.

“Nossa indústria precisa, especialmente, de capital tecnológico, que a indústria europeia pode oferecer. A Itália tem mais capacidade de inovação e uma experiência longa em nosso Estado”, afirmou, lembrando que em Minas estão em atividade muitas empresas de origem italiana.

Ambiente favorável

Outro fator positivo apontado pelo governador para o investimento externo no Estado é o ambiente de negócio favorável ao crescimento do capital, em virtude de “um cenário favorável de integração quase perfeita entre o empresariado, o governo do Estado, o Poder Legislativo e o Poder Judiciário”.

“Raras vezes houve uma confluência tão grande de iniciativas, interesses e vontade política e institucional para receber investimentos estrangeiros”, afirmou.

Como exemplo dessa interação, o governador citou o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), lançado no primeiro semestre, para oferta pública de 28 mil quilômetros de estradas estaduais mineiras e cujas primeiras propostas deverão ser recebidas ainda neste mês.

O seminário integra a Semana de Minas Gerais em Milão. O evento contou ainda com a participação dos presidentes da Fiemg, Olavo Machado, e da Codemig, Marco Antônio Castelo Branco.

Safra

Com o dólar favorável, produtores mineiros estão de olho no mercado externo. Com a previsão de safra recorde, eles estão investindo pesado para garantir a oferta de alimentos em quantidade suficiente para atender à demanda nacional e internacional.

Na safra 2015/2016, Minas Gerais deve colher 12,86 milhões de toneladas de grãos. O volume é inédito no Estado e supera o maior registrado em 2013, quando a colheita alcançou 12,1 milhões de toneladas. Em relação à safra 2014/2015, quando foram colhidas 11,8 milhões de toneladas, o crescimento é de 8,7%. Os dados fazem parte do Primeiro Levantamento de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o secretário de Agricultura, João Cruz, os números sinalizam resultados animadores, mesmo levando-se em conta que os dados podem se alterar para cima ou para baixo em função das condições climáticas.