Na reta final do esforço do governo para conter o impeachment da presidente Dilma Rousseff, governadores do Nordeste intensificaram o contado com as bancadas de seus Estados. Representantes de ao menos quatro Estados estão na missão por telefone ou em conversas pessoais, em Brasília.

"São os governadores do nosso campo", disse o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), vice-líder do governo e um dos articuladores do Planalto na Câmara.

Na lista de governadores estão Flávio Dino (PCdoB-MA), Rui Costa (PT-BA), Wellington Dias (PT-PI) e Ricardo Coutinho (PSB-PB).

Leia mais:
Sessão da Câmara acaba em tumulto por causa da criação da Frente pela Democracia
Oposição já contabiliza 361 votos a favor do impeachment
Professores, juristas e membros do MP divulgam manifestos contra impeachment
Governo faz mobilização total para reverter 'onda negativa' e comemora documento de Lula

Dino contou que já vem conversando com os deputados mais próximos desde o ano passado, mas que, nos últimos dias desta semana, começou um "esforço mais intensivo" por telefone. Disse já ter conversado com metade da bancada maranhense, formada por 18 deputados.

"Mostro as graves consequências para o País deste salto na escuridão. Apelo à racionalidade e ao bom senso. Este foi o governo eleito", afirmou Dino.

Coutinho disse que aproveitou agendas institucionais em Brasília para agendar conversas com parte dos 12 deputados paraibanos.

"Não me sinto no direito de fazer pressão. Expresso o meu ponto de vista. Minha posição é clara e nítida. Minha história não me permite participar de golpe", disse o governador da Paraíba.