Partidos de oposição cancelaram nesta quarta-feira (6), a reunião prevista para esta tarde com líderes na Câmara e no Senado e presidentes das legendas, na qual seria discutida a estratégia do bloco sobre o encaminhamento do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

PSDB, DEM, SD e PPS querem entregar novas informações ao jurista Miguel Reale Júnior, que produz um parecer para embasar juridicamente futuras ações da oposição. O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), se encontrará na segunda-feira (12), com Reale Júnior para encaminhar os novos documentos, entre eles a defesa do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, ao Tribunal de Contas da União (TCU).

No documento, Costa responsabilizou Dilma pela compra da Refinaria de Pasadena, no Texas, Estados Unidos, em 2006. O TCU apontou prejuízo de US$ 792 milhões no negócio.

"O senador Aécio Neves (presidente nacional do PSDB, de Minas Gerais), face aos novos documentos e informações levantados pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras e, sobretudo, diante da apresentação da defesa de Paulo Roberto Costa no Tribunal de Contas da União em relação à compra da Refinaria de Pasadena, solicitou ao líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio (SP), que se reúna, no início da próxima semana, com o professor Miguel Reale Júnior a fim de que o ex-ministro da Justiça possa considerar e incluir esses fatos novos no parecer que está fazendo a pedido do PSDB", diz a nota da sigla. A defesa ao TCU e o depoimento do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras à CPI da estatal nesta terça-feira, 5, na Câmara são as principais apostas da oposição para municiar o jurista.