Opositores do ex-presidente Michel Temer (MDB) usaram a tribuna do Plenário da Câmara dos Deputados para criticar a prisão do emedebista. "Nós não podemos defender uma prisão. Respeitamos as garantias constitucionais de todos os brasileiros", afirmou a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Já o deputado federal João Daniel (PT-SE) defendeu a aprovação do projeto contra o abuso de autoridade, visto pela operação "Lava Jato" como uma tentativa de intimidar juízes e procuradores que investigam casos de corrupção envolvendo a classe política. "A Câmara tem o dever de aprovar o projeto que nenhuma autoridade esteja acima. Por isso, a Casa tem que aprovar o projeto contra o abuso de autoridade."

Michel Temer foi preso nesta quinta-feira (21) durante a operação "Lava Jato" no Rio. O mandado de prisão foi assinado pelo juiz da operação no Rio, Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal.

Defesas

O advogado Eduardo Carnelós, que defende Michel Temer, afirmou que a prisão do ex-presidente "é uma barbaridade". O MDB, por meio de nota, também lamentou a prisão, que considerou "postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa".

Leia mais:

No Rio, Temer terá mesmo tratamento dado a Lula na prisão
Temer foi preso logo após sair de casa; advogado chama detenção de 'barbaridade'
Temer recebeu R$ 1 milhão em propina, afirma MPF

*Com Estadão Conteúdo