A presidente Dilma Rousseff, confirmou, nesta terça-feira (20) em visita a São João del-Rei (MG), a liberação de mais R$ 1,6 bilhão para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, em 44 municípios, dentre eles, Belo Horizonte. O recurso que a capital mineira irá receber, em torno de R$ 16,5 milhões, já tem destino definido e será empregado em obras tanto na Pampulha quanto na praça da Estação.

Na Pampulha, o investimento será aplicado no Museu de Arte e na igreja de São Francisco de Assis, principal cartão postal da cidade. No entorno da praça da Estação, além da recuperação de três casas da rede ferroviária, que serão revitalizadas e transformadas em escolas ligadas ao Museu de Artes e Ofícios (MAO), o investimento será voltado para a potencialização da área de formação da Prefeitura de Belo Horizonte, hoje conhecida como Arena da Cultura, administrada pela Fundação Municipal de Cultura. A ideia é criar, na antiga Hospedaria, ao lado do MAO, um amplo espaço totalmente dedicado à formação artística.

Além de BH e São João del-Rei, as outras cidades mineiras beneficiadas serão Congonhas, Diamantina, Mariana, Ouro Preto e Sabará.

A solenidade foi acompanhada pelo prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, e pelos ministros da Cultura, Marta Suplicy, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, além de gestores municipais.