A Polícia Federal afirma ter encontrado importante testemunha da campanha do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), beneficiada com pagamentos ilegais de empresa fantasma a uma equipe de filmagens que, em 2010, produziu a campanha eleitoral do político. O motorista R.G.S.F., servidor da Universidade Federal da Paraíba, confessou que recebeu três pagamentos, no valor total de R$ 3,3 mil, da Brickell Internet e Processamento de Dados Ltda.-ME. Segundo a PF, a Brickell é pessoa jurídica de fachada que teria sido operada por um executivo da Mkpol, empresa de marketing político do publicitário Duda Mendonça, sob suspeita de prática de lavagem de dinheiro.

A Mkpol prestou serviços no primeiro turno da candidatura de Coutinho ao governo. O motorista assinou com a Mkpol contrato de trabalho temporário por três meses na campanha, "de domingo a domingo", mas recebeu da Brickell. O pagador do motorista foi Samuel Vieira Martins da Silva, motoboy funcionário de Duda, apurou a PF. Rastreamento do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) mostra que Samuel fez depósitos em diversas contas que somaram R$ 104,7 mil.

Os recursos para custear os serviços do motorista e de outros profissionais mobilizados para a campanha do pessebista teriam sido desviados de contrato de R$ 6,6 milhões entre a gestão Coutinho na prefeitura com a empresa Ideia Digital para instalação do programa Jampa Digital - distribuição de internet grátis para a população carente de João Pessoa, em 2009. Na ocasião, Coutinho exercia mandato de prefeito da capital paraibana. O laudo pericial 161/2013 aponta superfaturamento de R$ 1,662 milhão.

"R.G.S.F. revelou que essa empresa Mkpol prestou serviços para a campanha do governador Ricardo Coutinho", diz relatório subscrito pelo delegado Felipe Alcântara de Barros Leal, que conduziu o inquérito. O motorista foi contratado em agosto de 2010. R.G.S.F. disse que sua missão era transportar cinegrafista que fazia captação de imagens do candidato do PSB "para o guia eleitoral". Os depósitos foram realizados em uma conta de seu pai.

Pagamentos da empresa fantasma haviam sido identificadas pelo Coaf. Agora a PF descobriu um dos beneficiários dos repasses ilícitos. "As novas provas obtidas são reveladoras." Para o MPF, o vice governador Rômulo Gouveia (PSD) também foi beneficiado. "Como se percebe há uma ligação íntima entre a empresa Ideia Digital, a fantasma Brickell, Duda Mendonça e Ricardo Coutinho, que fatalmente decorre do direcionamento dos recursos desviados do projeto Jampa Digital em prol das candidaturas dos mesmos ao governo da Paraíba." As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.