Em entrevista antes de ser diplomado, o governador eleito Fernando Pimentel (PT) demonstrou nesta sexta-feira (19) descontentamento com as informações recebidas sobre a situaçāo financeira do Estado. "A primeira medida logo após constatarmos a situação orçamentária do Estado de forma mais nítida, que nesse momento nāo temos, nós vamos criar rapidamente os fóruns de participação popular nas regiões do Estado. Vamos fazer um governo representativo para o povo de Minas Gerais", afirmou.
 
Pimentel declarou que o setor jurídico da campanha tem argumentos fortes para derrubar a tese de cassação de mandato. Nessa quinta (18), a procuradoria regional eleitoral entrou com uma ação pedindo a perda do mandato por abuso de poder econômico durante a campanha.
 
"As questões da Justiça a gente não comenta. Se nāo concordar com ela (Justiça) recorre como é o nosso caso. Estamos em processo de recurso, não tem julgamento, não há uma decisão final. Vamos aguardar, nossos argumentos são muito sólidos. Essa questão será revista pela Justiça para termos tranquilidade para governar o Estado", ressaltou.
 
O petista disse que até o fim do mês divulgará os nomes da nova equipe de governo. Acompanhado de deputados aliados e do vice-governador eleito Antônio Andrade (PMDB), Pimentel chegou na cerimônia de diplomação com quase uma hora de antecedência. Autoridades e familiares dos políticos eleitos prestigiaram o ato solene do TRE de Minas.
 
O ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), eleito senador em outubro, foi bastante aplaudido quando recebeu o diploma. O tucano não concedeu entrevista. Além de Pimentel e Anastasia, 77 deputados estaduais e 53 deputados federais foram diplomados.