O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi levado em um carro descaracterizado da Polícia Federal, escoltado por outras duas viaturas, ao Instituto Médico Legal (IML) de Brasília, para fazer exame de corpo de delito. Ele chegou ao instituto às 9h25 e entrou direto para a sala do médico legista, onde permaneceu por cerca de meia hora. Pizzolato não falou com a imprensa. Segundo a Polícia Civil, no exame não foi constatada qualquer lesão.

Por volta das 10h, sem algemas e com um colete à prova de balas, o ex-diretor do Banco do Brasil foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda, onde outros condenados no processo do mensalão já estiveram presos. Pelo menos 11 policiais federais participaram da operação de transferência de Pizzolato.

Condenado a 12 anos e sete meses de prisão por envolvimento no escândalo do mensalão, Pizzolato chegou na manhã desta sexta-feira a Brasília, onde cumprirá pena. Ele foi extraditado ontem da Itália, onde estava há pelo menos 23 meses.

Pizzolato chegou ao Brasil no início da manhã, trazido em um voo comercial da TAM que partiu de Milão e pousou no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) por volta das 6h. Depois embarcou em um avião da Polícia Federal rumo à capital federal.