O prefeito de Uberlândia (MG), Gilmar Machado (PT), usou um megafone na tarde desta sexta-feira (4), para defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi conduzido coercitivamente para depor à Polícia Federal, nesta manhã, na 24ª fase da Operação Lava Jato, denominada Aletheia.

Para defender o líder de seu partido, o prefeito petista aproveitou uma manifestação do Movimento Sem-Teto em frente à Câmara Municipal, visando a aprovação de um projeto de desapropriação de uma área no município, para o desagravo a Lula. "Foi um ato em defesa da democracia e do ex-presidente Lula no Estado de Minas Gerais, após ação arbitrária da Justiça e da Polícia Federal", disse o prefeito.

Gilmar Machado disse que seu desagravo era uma forma de reiterar "o sentimento de perseguição criado no Brasil e a irresponsabilidade da oposição que busca a desestabilização política no País. O petista foi coordenador da campanha da presidente Dilma Rousseff, na região do Triângulo Mineiro, em 2014. O prefeito também publicou fotos e um texto em defesa de Lula nas redes sociais.