O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), também deu início à sua reforma administrativa e política, conforme havia adiantado o Hoje em Dia, em novembro.

A deputada estadual Luzia Ferreira (PPS) foi confirmada para assumir a Secretaria de Governo, substituindo Josué Valadão. Mas o nome já estaria causando insatisfação na Câmara Municipal.

“Há uma ira de muitos vereadores com a troca. O Valadão é querido por todos e a Luzia não é imparcial, vai trabalhar para si e para seu partido”, disse uma fonte que prefere anonimato.

Nos corredores, já se fala em uma dificuldade maior nas relações entre a prefeitura e o Legislativo municipal. Valadão é visto como um bom interlocutor, ao contrário da futura secretária, alvo de reclamação dos parlamentares.

Luzia, que deve assumir a pasta em fevereiro, minimizou o fato. “Conheço todos os vereadores, foram meus colegas. Hoje a relação com eles é feita basicamente com a Secretaria de Relações Institucionais e o Josué fazia o apoio. Vamos continuar fazendo da mesma forma, sempre com o diálogo em primeiro lugar”, disse.

Valadão será deslocado para a Secretaria de Obras, hoje comandada por José Lauro Nogueira Terror, que deve ir para a Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte (Prodabel).

A reforma de Marcio Lacerda também vai abrigar nomes da gestão tucana que se encerrou no Estado depois de 12 anos à frente da administração. Juarez Amorim (PPS), ex-diretor Operacional Metropolitano da Copasa, deve ocupar o lugar do Coronel Genedempsey Bicalho Cruz, atual presidente da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel).

Referência dentro do PSDB, o ex-secretário de Governo Danilo de Castro é cotado para assumir a Secretaria de Assuntos Institucionais da prefeitura.

Todas as articulações visam fortalecer o grupo político liderado pelo PSDB para a disputa da administração municipal nas eleições de 2016. “Luzia pode vir a ser vice ou candidata oficial numa futura chapa. A ida dela para uma pasta importante é uma sinalização”, disse a fonte.


Câmara

A Câmara Municipal de Belo Horizonte também deve passar por mudanças. Segundo o novo presidente da Casa, Wellington Magalhães (PTN), será realizada nesta terça-feira (6) a primeira reunião da Mesa Diretora. Na pauta estarão alterações nas comissões e no Regimento Interno. “Estamos fazendo estudos para só então propor as mudanças”, disse.

No início do ano passado já tinham entrado em vigor mudanças no Regimento que impactaram a composição das comissões, gerando polêmica na Casa. Nos bastidores, o que se diz é que a reforma permitirá maior agilidade na aprovação dos projetos do Executivo. “A ideia é evitar tantos recursos regimentais que impedem a tramitação”, comentou um outro vereador.