A bancada do PSOL pediu nesta terça-feira (10), que a Corregedoria da Câmara abra uma sindicância para apurar as denúncias de corrupção envolvendo os 22 deputados investigados no âmbito da operação "Lava Jato". Os parlamentares do partido também pediram que aqueles que exerçam funções de comando na Mesa Diretora - como o presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) - e na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sejam afastados de seus postos administrativos.

Os requerimentos foram apresentados pelo líder do PSOL, Chico Alencar (RJ), no colégio de líderes realizado nesta tarde. Alencar defendeu que, além de Cunha, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA) se licencie da primeira vice-presidência e que Arthur Lira (PP-AL) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) deixem temporariamente a presidência e a primeira vice da CCJ. O apelo não foi aceito pelo colegiado e o PSOL ficou isolado.

"O presente requerimento não possui o condão de fazer qualquer prejulgamento dos senhores deputados mencionados na investigação. Trata-se de iniciativa que visa garantir a isenção, a ética e a democracia na condução das atividades da Casa, inclusive no que diz respeito à condução dos trabalhos de investigação e sindicância que envolvem a totalidade dos parlamentares na lista apresentada pela PGR", argumentou Alencar no requerimento.

Já o pedido de apuração só será encaminhado à Corregedoria após análise prévia de Cunha.