O líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), afirmou nesta quarta-feira, 16, que o partido defenderá a convocação do Congresso em janeiro para analisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff caso a comissão especial que dará parecer sobre processo na Casa seja instalada antes do início do recesso parlamentar. Para o petista, os 65 deputados que vão compor a comissão "não têm direito à praia", se o processo começar a ser analisado pela Câmara.

Na tarde desta quarta-feira, 16, os ministros do STF começaram a julgar ação proposta pelo PCdoB questionando o rito de impeachment estabelecido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Em seu voto, o relator do caso, ministro Luís Edson Fachin, confirmou a votação secreta e disse que o Senado não pode barrar o processo de impeachment. O voto ainda precisa ser analisado pelos outros ministros.

Questionado se o PT vai defender o funcionamento do Conselho de Ética durante o recesso, Sibá generalizou e defendeu que "tudo que tiver que analisar" deve ser analisado no período. A resposta vai na linha do que mostrou ontem o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. A bancada petista está evitando atacar Cunha, que é alvo do processo por quebra de decoro parlamentar no colegiado, para evitar retaliações na votação de matérias orçamentárias e do ajuste fiscal. Hoje, a Procuradoria-Geral da República pediu o afastamento de Cunha do cargo de deputado.