O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou nesta quarta-feira (13) nota oficial em que lamenta a morte "tão precoce e trágica" do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. Para o peemedebista, a tragédia deixa o Brasil "chocado e surpreso". "O país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira", afirmou.

Renan, que decidiu decretar luto oficial de três dias no Congresso, disse que Campos era uma referência como homem público nos cargos que exerceu. O presidente do Congresso foi alvo de críticas contundentes de Campos durante a corrida eleitoral. O candidato do PSB já disse em várias ocasiões que, caso eleito, não queria governar com Renan e outros pessoas chamadas por ele de "raposas" da política.

Veja a íntegra da nota:

"É com profundo pesar que lamento a morte tão precoce e trágica do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos. Uma tragédia que deixa o Brasil chocado e surpreso. O país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira.
 
Eduardo Campos foi um homem respeitável em todos os aspectos de sua personalidade, um pai exemplar e uma referência como homem público nos cargos que exerceu.
 
Em nome do Congresso Nacional e em meu próprio envio condolências à família, ao PSB e ao governo do Estado de Pernambuco.
 
Informo, ainda, que o Congresso Nacional decretará luto oficial por um período de três dias.
 
A Presidência do Senado proporá também uma sessão solene para conceder a ordem do mérito do Congresso Nacional ao ex-governador Eduardo Campos.
 
Renan Calheiros
Presidente do Senado Federal"