Os dois principais candidatos ao governo do Estado viram com bons olhos a pesquisa Datafolha. Apesar de a diferença com seu concorrente direto ter diminuído, Fernando Pimentel (PT) ressaltou que manteve uma boa posição.
 
“Nós vamos fazer essa avaliação ainda, eu acho que a gente está bem nas pesquisas e isso me deixa satisfeito, feliz, mas também eu vejo com muita humildade, porque pesquisa é um retrato de um momento, o momento agora é esse, mas pode mudar. Então vamos trabalhar, como já estamos trabalhando no Estado inteiro, incansavelmente para ter um bom resultado naquela que é a pesquisa definitiva que é a eleição no dia 5 de outubro”, afirmou Pimentel.
 
Já Pimenta da Veiga (PSDB), que cresceu oito pontos, disse que o resultado já era previsto. “Tenho absoluta tranquilidade. Por todo o tempo eu tenho dito isso. No momento adequado nós iríamos crescer. Começamos a crescer. Nós vamos vencer as eleições, com absoluta tranquilidade, dentro da nossa postura e nossa proposta”, enfatizou Pimenta da Veiga, nessa quinta-feira (4), ao lado do senador Aécio Neves (PSDB), em encontro com prefeitos, na capital.
 
Pimenta disse que Aécio virá a Minas Gerias para apoiar sua candidatura quantas vezes forem necessárias, e acredita que em breve conseguirá reverter o atual quadro, passando à frente de Pimentel.
 
Para que isso seja possível, eles irão reforçar a estratégia da campanha. “Em Minas Gerais a campanha começa por volta do dia 7 de setembro. Agora, nós vamos mostrar as nossas propostas, que são as melhores, e todos os que nos apoiam, que são prefeitos, deputados federais, deputados estaduais, vereadores, lideranças comunitárias, vão, agora, redobrar os esforços. Estamos no tempo certo, com absoluta tranquilidade e alegria”.
 
 
Descrença
 
O candidato da coligação “Minas quer Mudança”, Tarcísio Delgado (PSB), declarou que não acredita nos números divulgados pela pesquisa Datafolha, na qual o candidato aparece com 3% das intenções de votos. “Não acredito nesse percentual. Há um mês, eu estava com 4% e agora caí para 3%? Isso é impossível”, afirmou. 
 
Segundo Delgado, sua campanha está cada vez mais forte e a receptividade das pessoas é cada vez maior em relação às suas propostas. “Antes eu não fazia tanta campanha como faço hoje, as pessoas nem me conheciam e nem sabiam que eu estava na disputa. Agora por onde eu passo é uma alegria”, contou. 
 
Tarcísio declarou que não confia nas instituições de pesquisas, de acordo com o candidato, os números são “manipulados”. “Essas pesquisas são uma vergonha, elas são usadas como campanha eleitoral, são usadas para atrair votos”, disse.