Documentos da operação Acrônimo da Polícia Federal (PF) obtidos pelo Hoje em Dia revelam que o governador Fernando Pimentel (PT) e a mulher dele, Carolina de Oliveira Pereira, ficaram hospedados em um resort de luxo tendo as despesas de hospedagem pagas por um sócio do empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené. 
 
De acordo com trecho do inquérito, Pedro Augusto Medeiros, apontado como sócio e laranja de Bené, realizou o pagamento da hospedagem no valor de R$ 12.127,50, sendo R$ 9.702 pagos através de TED e o restante, R$ 2.425,50 em depósito não identificado. O casal ficou hospedado no Resort Kiaroa Eco Luxury, localizado na Península de Maraú, na Bahia. A reserva foi feita pelo próprio Bené, um dos alvos principais da operação Acrônimo, que investiga indícios de lavagem de dinheiro e crimes eleitorais. 
 
Pimentel e Carolina ficaram hospedados de 15 de novembro até 17 de novembro de 2013. Nessa época, o petista ocupava o cargo de ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Em ofício de 28 de maio de 2015, o delegado da PF Guilherme Torres requisitou as informações para o Resort Kiaroa. Um dia depois, o gerente do resort, Jairo Freitas Cavalcante Santos, respondeu à requisição do delegado.