O Plenário do Senado rejeitou na tarde desta terça-feira, 13, por 52 votos a 19, um destaque que pedia que as despesas com as áreas de Saúde e Educação fossem retiradas da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que cria o teto para o crescimento dos gastos da União. A PEC prevê que, a partir de 2018, os orçamentos das duas áreas tenham como piso a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no ano anterior.

O texto-base do Novo Regime Fiscal foi aprovado hoje em segundo turno pelo Senado por 53 votos a 16, placar inferior ao da primeira votação na casa, cujo resultado foi de 61 a 14. A PEC do Teto será promulgada na próxima quinta-feira, 15, em sessão marcada para as 9h.

Leia mais:
Temer minimiza queda do apoio à PEC do teto e destaca 'vitória extraordinária'
Barroso nega pedido de suspensão da tramitação da PEC do teto no Senado
Senado aprova PEC do Teto em 2º turno por 53 votos a 16