Temer participa de reunião da OMC em Buenos Aires

Estadão Conteúdo
Hoje em Dia - Belo Horizonte
10/12/2017 às 13:23.
Atualizado em 03/11/2021 às 00:09
 (Jose Cruz/Agência Brasil )

(Jose Cruz/Agência Brasil )

O presidente Michel Temer tem agenda neste domingo (10), em Buenos Aires (Argentina). Às 16h45, participa da sessão de abertura da reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) e voltará para o Brasil ainda hoje, com chegada prevista para 22h30.

A maior expectativa em relação ao encontro é a rodada de reuniões paralelas entre Mercosul e União Europeia, que tem chances de terminar com um anúncio histórico: a conclusão do ponto de vista político das negociações do acordo de associação entre os dois blocos, depois de 20 anos de altos e baixos. No melhor dos cenários, alguns pontos ainda ficarão em aberto, mas haverá um rumo claro a ser percorrido pelos técnicos até a efetiva assinatura do acordo.

Para os negociadores, o ideal é anunciar o "acordo político" durante o evento, que termina na quarta-feira. Além de Temer, participam da cerimônia de abertura da reunião da OMC neste domingo o presidente argentino Maurício Macri, e os presidentes do Paraguai, Horácio Cartes, do Uruguai, Tabaré Vázquez, e do Chile, Michelle Bachelet.

O encontro

Mercosul e União Europeia iniciam neste domingo, dia 10 de dezembro, uma rodada de reuniões que tem chances de terminar com um anúncio histórico: que as negociações do acordo de associação entre os dois blocos foram concluídas do ponto de vista político, depois de 20 anos de altos e baixos. No melhor dos cenários, alguns pontos ainda ficarão em aberto, mas haverá um rumo claro a ser percorrido pelos técnicos até a efetiva assinatura do acordo.

As conversas ocorrerão em Buenos Aires, a partir deste domingo, em paralelo à reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC). Para os negociadores, o ideal é anunciar o "acordo político" durante o evento, que termina na quarta-feira, dia 13. O presidente Michel Temer participará da cerimônia de abertura da reunião da OMC neste domingo ao lado do argentino Maurício Macri, e dos presidentes do Paraguai, Horácio Cartes, do Uruguai, Tabaré Vázquez, e do Chile, Michelle Bachelet.

"O acordo é o primeiro grande lance de inserção do Mercosul na economia mundial", disse ao jornal 'O Estado de S. Paulo' o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. E o bloco sul-americano foi criado, há 26 anos, para ser uma zona de livre comércio e para buscar essa integração.

Ofertas

O chanceler ressalvou que a negociação ainda não está concluída. Os dois lados esperam novas ofertas em Buenos Aires. Para alinhar posições nesse tema, já estava programada uma reunião de chanceleres do Mercosul neste domingo de manhã, antes da abertura da reunião da OMC.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira cita dados de um estudo elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, segundo o qual as exportações terão um incremento de 12,3% até 2030. Na mão inversa, as importações crescerão 16,9%.

O acordo garante a Mercosul e União Europeia condições privilegiadas no acesso aos mercados um do outro. Aos europeus, interessa principalmente ampliar a venda de produtos industrializados. Para os sul-americanos, um ponto prioritário é garantir melhor acesso dos produtos agropecuários.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por