Em um flagrante conflito de interesses, a autarquia responsável por controlar o transporte público em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, estaria alugando um pátio de uma das empresas que deveria fiscalizar. Pelo menos R$ 46 mil estariam saindo todo mês dos cofres públicos para bancar o negócio.

Além de tornar questionável a qualidade dos serviços prestados pela Transcon, uma vez que ela passa a ter um contrato com a direção da empresa de ônibus São Gonçalo, há ainda rumores de que a contratada seria devedora do município.

Além do pátio de 7.522 metros quadrados e de um estacionamento com 1.000 metros quadrados, o local também abarca um prédio comercial com área construída de 1.754 metros quadrados. Desde maio desse ano, data em que o contrato foi firmado, funciona no local a administração da Transcon e ali ficam estacionadas as 20 ambulâncias salva-vidas do Samu.

Sem licitação

A contratação foi feita por dispensa de licitação, segundo consta em publicação no diário oficial de Contagem. Nela, a Transcon contrata a empresa Rota Empreendimentos Imobiliários Ltda, tendo como objeto a locação do prédio.

O Hoje em Dia teve acesso ao contrato social da Rota – e suas respectivas alterações nos últimos anos – no qual os sócios são os mesmos proprietários da empresa São Gonçalo.

Além disso, o novo endereço da Transcon é o mesmo da empresa de ônibus que, segundo moradores, passou a funcionar nos fundos da autarquia.

Moradores da região acusam os envolvidos de tentar “maquiar” o local como, por exemplo, trocar os números do endereço do imóvel.

Leia mais na Edição Digital