O vereador Pablo César, o Pablito (PSDB), admitiu nessa quarta-feira (8) que estava viajando para os Estados Unidos desde o início do mês e que não marcou presença nas reuniões em plenário. A alegação confirma a suspeita de que “pianistas” estão agindo na Câmara. O tucano, porém, nega que tenha autorizado algum parlamentar a registrar seu nome no plenário.

Uma outra possibilidade, segundo próprio vereador, seria uma falha no painel, o que, de certa forma, poderia colocar em xeque todo o trabalho já realizado na Casa. Por conta disso, a mesa diretora da Casa confirmou a abertura de uma sindicância para averiguar o caso.

A procuradoria da Câmara é quem irá conduzir as investigações e a expectativa é a de que, em dez dias, os primeiros questionamentos sejam esclarecidos. O caso será tratado pelo procurador Augusto Paulino.

O caso veio à tona depois da denúncia feita com exclusividade pelo Hoje em Dia. Nas três primeiras reuniões deste mês, Pablito teve o nome registrado no painel. No dia 2, a presença saiu às 14h50. Nos dias 3 e 6, a marcação ocorreu às 15h07. Para tentar minimizar a polêmica, o chefe de gabinete do tucano, Álvaro Gonzaga, protocolou na Casa, na segunda-feira, um ofício confirmando a viagem e pedindo esclarecimentos.

Na sessão de quarta-feira, a primeira de maio em que esteve de fato no local, Pablito admitiu a viagem por “questões particulares”. “Conto com a apuração desta Casa. Não autorizei nenhuma pessoa a registrar o ponto por mim”, disse. Ele aproveitou para negar a viagem para Las Vegas. “Fui aos Estados Unidos, mas estava em Miami. Uma pessoa próxima está com problemas de saúde”.

O parlamentar se mostrou tranquilo. “Não tenho medo de ser cassado ou de sofrer alguma punição porque não tenho nada a ver com o caso”.

Advertência

Além de correr o risco de responder a uma comissão processante e perder o mandato, Pablito já sabe que será advertido pela Câmara. Isso porque ele não comunicou à direção que iria fazer uma viagem ao exterior, desrespeitando determinação do regimento.

Quarta, o presidente da Câmara, vereador Léo Burguês (PSDB), voltou a comentar a gravidade da situação. “Todos os recursos serão usados para esclarecer os fatos. Já determinamos a análise das fitas da segurança e queremos dar uma resposta”. Além das filmagens, será feita uma perícia no painel do plenário.