O líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), disse que a votação do projeto sobre a renegociação da dívida dos Estados deverá ser adiada para terça-feira, 20, por falta de quórum. Por volta das 16h30, apenas 39 deputados haviam marcado presença na Casa. "Hoje é difícil. Amanhã vai ter mais gente. Os deputados ainda estão chegando", disse.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocou sessões para esta semana, na véspera do recesso parlamentar, para tentar votar a proposta. Estado de origem do deputado, o Rio de Janeiro é um dos que mais sofre com a crise fiscal.

Relator do projeto, o deputado Esperidião Amin (PP-SC) disse que ainda está estudando se fará alterações no parecer que apresentou em plenário na última quinta-feira. Ele também afirmou acreditar que a votação ficará para esta terça-feira.

O projeto foi aprovado na semana passada pelo Senado com algumas mudanças que desagradaram parte dos deputados. O ponto que gerou mais polêmica foi a inclusão do chamado Regime de Recuperação Fiscal para os Estados que estão em situação crítica, como Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio.

Para obter os benefícios desse regime especial, os Estados teriam que se comprometer com uma série de contrapartidas, como a elevação da contribuição previdenciária dos funcionários públicos, além da proibição de conceder reajustes aos servidores, criar cargos e realizar concursos públicos. Para os deputados da oposição, porém, essas medidas prejudicam demais os servidores públicos.

Leia mais:
Em reunião com a PM, governo diz que não vai adotar 'pacote de maldades' em Minas
Militares de Minas decidem fazer greve contra 'pacote de maldades'
Militares fazem manifestação em BH contra projeto que muda benefícios da categoria