Políticos mineiros adotam cautela ao avaliar pesquisa eleitoral para 2022

André Santos
andre.vieira@hojeemdia.com.br
29/09/2021 às 21:23.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:58
 (Arte HD)

(Arte HD)

Independentemente do desempenho apresentado, os principais nomes citados na pesquisa do INSTITUTO HD DATA de intenção de voto para as eleições 2022, divulgada nos dois últimos dias, preferiram a cautela ao analisar os resultados.

 “Ainda está muito cedo, pois o cenário de agora pode ser outro no momento eleitoral. Ainda existem alguns posicionamentos, em relação à definição dos candidatos por exemplo, que podem mudar todo este cenário”, destaca o senador Carlos Viana, que disputa a indicação como candidato do PSD ao governo de Minas com o prefeito de BH, Alexandre Kalil. 

Pelo levantamento, ambos perderiam a eleição, caso o pleito fosse hoje, em um confronto com o governador Romeu Zema (Novo). Na simulação com Viana, o senador teria 3% contra 54% do atual governador, que venceria no primeiro turno. Já com Kalil como candidato, o prefeito fica com 28% contra 52% de Zema, que da mesma forma liquidaria no primeiro turno.

Procurado para falar sobre a vantagem na pesquisa, o chefe do Executivo mineiro respondeu, por meio de sua assessoria, que “o governador não está comentando os cenários da pesquisa”. A “muda” também foi a resposta dada pelo prefeito de BH. Por intermédio de sua assessoria, Kalil manifestou que “não comenta resultados de pesquisas eleitorais”.

Presidência

A pesquisa do HD DATA também mediu a preferência do eleitorado em relação à disputa nacional, apontando a preferência por Jair Bolsonaro em todos os cenários testados. Para o presidente do Progressistas em Minas, deputado federal Marcelo Aro, o resultado da pesquisa com Bolsonaro à frente de Lula na preferência do eleitorado mineiro supreendeu. O deputado, que é o líder do governo mineiro na bancada federal, falou ainda sobre as especulações em torno do seu nome para concorrer ao Senado ou mesmo ao cargo de vice-governador na chapa de Romeu Zema. "Estou à disposição do governador, mas meu foco agora é terminar meu mandato de deputado federal, ajudando Minas e o governo com muito trabalho e dedicação", afirmou o deputado. Arte HD / N/A

Pesquisa HD Data

Peso de Minas

Para o cientista político Adriano Cerqueira, do Ibmec, a liderança de Bolsonaro em Minas pode indicar uma direção à campanha do presidente, que poderia se fazer valer do alta adesão do eleitorado mineiro para tentar, com isso, equilibrar o cenário nacional frente ao ex-presidente Lula (PT). “O cenário desta pesquisa para Bolsonaro é favorável, pois estamos falando do segundo maior colégio eleitoral do Brasil, que é Minas Gerais, e que tem um peso importante no cenário eleitoral. Sabemos que uma vitória com uma margem importante de votos em Minas, como mostra a pesquisa, pode mudar o resultado em termos nacionais. Vimos isso em 2014,quando a então presidente Dilma derrotou Aécio Neves aqui e acabou revertendo uma derrota”, avaliou.

Procurado, o diretório estadual do PT não quis se manifestar. Em comunicado enviado pela assessoria do partido, a sigla preferiu não comentar os resultados da pesquisa.

Projeto HD DATA

A pesquisa de intenção de votos para governo do Estado e Presidência da República, divulgada nas edições de terça e quarta, é a primeira realizada pelo INSTITUTO HD DATA, em parceria com o Dataquest. O levantamento foi feito exclusivamente com eleitores do Estado de Minas Gerais. Segundo o diretor do Dataquest, Hermes Naves, a intenção é realizar novos levantamentos pelo menos de dois em dois meses, permitindo dessa forma a construção de uma análise comparativa.

No âmbito estadual, os resultados mostram o governador Romeu Zema (Novo) como favorito em todos os cenários apresentados, sempre com índices acima de 50% na preferência do eleitor. Em um deles, Zema lidera com 52% contra 28% do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), na disputa de primeiro turno, evoluindo para 56% a 37% em um eventual segundo turno. 

No caso da disputa nacional, a pesquisa aponta o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na frente em Minas. Em um dos cenários, ele surge como o preferido para 42%, contra 28% de seu principal oponente, o ex-presidente Lula (PT), seguido de Ciro Gomes (8%), Sérgio Moro (6%), Rodrigo Pacheco (5%), João Amoedo (4%), João Dória (2%) e Guilherme Boulos (1%).

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por