Cerca de 60 policiais civis em protesto forçaram, na manhã desta segunda-feira (7), o alambrado de proteção que foi colocado em todo o gramado da Esplanada dos Ministérios para manter manifestantes distantes do local do desfile de Sete de Setembro e do palanque onde estão as autoridades, entre elas a presidente Dilma Rousseff. Os policiais, que estão em greve, começaram a bater colheres e a forçar o muro. Algumas placas, inclusive, chegaram a ceder.

Um dos coordenadores de segurança do local, que não quis se identificar, acionou o comando de segurança para pedir reforço de policiais militares temendo que os manifestantes pudessem estar armados, já que são policiais civis. "O medo é que, como eles são policiais civis, podem estar armados", disse. Por enquanto, apenas cinco homens da polícia militar observam a área.

Segundo esse coordenador, o muro foi colocado justamente para garantir a segurança do evento oficial. "Eles podem protestar, sem destruir o patrimônio", ponderou. O protesto acontece na via do lado oposto onde ocorre o desfile de Sete de Setembro. Os policiais colocaram faixas com os dizeres "Polícia Civil em greve" no muro que, apesar de distante do palanque presidencial, é bem em frente ao local onde estão as autoridades.